terça-feira, 29 de março de 2011

Livros Cheios de Horizontes


Acho que nunca contei aqui que na sala de aula para além dos meninos, de mim, da Joana e da Manuela, convivem connosco diariamente dois peixes, a Laranjinha e o Tangerina.

Já perceberam que se trata de um peixe e de uma peixa. O Rafael, que é o responsável pela vinda dos peixes para a sala, fez questão de deixar bem claro que eles eram namorados e que iam ter filhos.

Talvez na impossibilidade de descobrirem o sexo dos peixes, os meninos decidiram que o peixe maior seria o Tangerina e o mais pequeno a Laranjinha. Para esta decisão alegaram que os Pais são maiores que as Mães. A Raquel oportuna, impediu a minha intervenção quando disse, que a Mãe dela era” mais grande” que o Pai! Claro que os meninos se referiam à altura dos Pais e não a outro tipo de grandezas…

Voltando à história dos nossos peixes, posso dizer que moram numa bela casa. Quem olha de fora pode acha-la pequena, mas tem sofás de conchas e uma árvore para que sempre que lhes apeteça, o Tangerina e a Laranjinha possam subir e ver melhor o que fazem os meninos!

Os meninos acham que os seus peixes também gostam de subir às árvores!

Ora um destes dias, o Afonso olhava atentamente o aquário e disse:

-Os peixes estão a dar beijinhos!

Num ápice todos os olhos estavam postos nos peixes!

-Vocês fizeram barulho e eles não gostam. Continuou o Afonso.

- Eles não gostam que os vejam. Disse a Bruna. Namoram melhor sozinhos!

-Eles nem podem sair de casa para namorar. Agora era o Gonçalo que falava. Se fosse no mar namoravam mais contentes, podiam ir a mais sítios.

Fiquei a pensar que um dos meninos, já tinha descoberto que os aquários e os “peixanários” eram perfeitamente desnecessários!

Que apesar de gostarmos da companhia dos nossos peixinhos, ninguém é feliz numa fatia de água!

Num instantinho os meninos levantaram uma serie de questões que importava resolver:

-Os peixes namoram? Se sim, como?

- Será que são felizes dentro do aquário?

- Será que sabem que gostamos deles?

- O que farão todo o tempo dentro do aquário além de dar voltinhas?

-Serão felizes?

Lembrei-me que na biblioteca tínhamos um livro que ajudaria a encontrar respostas para todas as perguntas colocadas. A história que contava era até parecida com a dos nossos peixes.

Li a história do” Peixe Baltazar”.

O conto foi escrito por, Manuel J. Marmelo e Jorge Afonso Marmelo e quem fez os desenhos (como dizem os meninos), foi Joana Quental.

O livro é um livro cheio de horizontes, como deve ser um bom livro. Além de respostas para algumas das perguntas, faz-nos perguntar mais, pensar em coisas que nunca tínhamos pensado antes e já se sabe, quando começamos a brincar a pensar nunca mais terminamos, porque cada resposta que encontramos leva a outra e outra e mais outra pergunta e as nossas e as perguntas deste livro vão dar pano para mangas!

Porque aqui na sala quando gostamos muito de um livro, volta que volta, voltamos a ele!

3 comentários:

Anónimo disse...

TERESA, obrigada pela tua lembrança....tá lindo!
....não é fácil namorar dentro de uma parede redonda.....
....aliás não é fácil ""conviver"" numa de REDONDO!!!!!
Lindo! EU

Marta Vasil disse...

Perguntas tão GRANDES de meninos pequeninos, mas afinal tão GRANDES.
Até a mim me apetecia estar nessa sala de aula e mergulhar nesse mar de perguntas e respostas!
Beijinho

Anónimo disse...

Cara Colega: Isto é uma verdadeira crítica a um livro para a Infância. Devia estar numa antologia sobre a sensibilidade de escrever sobre Livros e Crianças.Bela prática Pedagógica, a sua. Bonita atenção aos pormenores que interessam da vida,às pequenas coisas, aos pequenos respirares.

Vejo ali os peixes a piscar-lhe o olho, cara Educadora! Depois quando saíram da sala, foi amararem-se à "Peixe", porque são "púdicospeixes".