domingo, 29 de novembro de 2009

Apresentar-me como ?

Porque não com o Mar, esse Mar que tanto me fascina?! Porque não esse Mar que me borda todos os dias as janelas do Jardim de Infância e dos meus Olhos de Vila Chã?. Esse Mar que me vai salpicando as alegrias e tristezas nos longos passeios nas suas franjas do que Ele deixa? Porque não o Mar de Fiama nesse belo poema "Viver Na Beira-Mar"? Porque não um filme meu, dele, no sépia melancólico que adoro?


Viver na Beira-Mar

Nunca o mar foi tão ávido
quanto a minha boca. Era eu
quem o bebia. Quando o mar
no horizonte desaparecia e a areia férvida
não tinha fim sob as passadas,
e o caos se harmonizava enfim
com a ordem, eu
havia convulsamente
e tão serena bebido o mar.


Fiama Hasse Pais Brandão, in "Três Rostos - Ecos"



video