terça-feira, 11 de julho de 2017

NO CORAÇÃO DO MAR…





As ondas revolvem as conchas da beirada
e entornam-lhes os segredos
que ficarão para sempre no coração do mar…

quarta-feira, 28 de junho de 2017

QUASE NOTURNO…




Quase com a noite a pousar na areia
escrevi o teu nome…
Mas logo uma onda o puxou de mim
levando-o para o mar alto
tal qual um barquinho que navega numa rota de estrelas
e que qualquer golpe de vento pode apagar…

segunda-feira, 26 de junho de 2017

PORQUE HÁ UM DIA EM QUE SABEMOS QUE QUANDO VOLTARMOS QUASE TUDO SERÁ DIFERENTE…





Os dias no jardim-de-infância passam sempre depressa…
Porque sabemos torná-los especiais e muito divertidos.
Sabemos que todos os dias nos espera um grupo de amigos, com quem podemos viver as mais fantásticas aventuras e desafios, mas esta felicidade e vontade de chegar à escola todas as manhãs, tem um dia que acaba…
É bom irmos para férias depois de um ano tão bem passado. Mesmo sabendo que há amigos que vão para outra sala quando regressarmos em setembro…
A vida é mesmo assim, mudar significa que crescemos, que as nossas asas estão maiores e que devemos aspirar a voos mais demorados…
Que a ternura continue imensa na gavetinha dos vossos corações e que saibam ser sempre, FAZEDORES DE SONHOS…




sexta-feira, 23 de junho de 2017

A PINTAR A MANTA...



   Hoje fomos poucos, mas não desperdiçamos um minuto de felicidade!



quarta-feira, 21 de junho de 2017

VERÃO...


     ( imagem retirada da web )



Os meninos apanham o verão
da relva
e entornam-no no mar…

terça-feira, 20 de junho de 2017

O PORTO ENQUANTO AINDA NÃO É S. JOÃO





O Porto é só por si já uma cascata sanjoanina…

Quem o diz é Carlos Tê, poeta conhecedor da cidade. Mas a verdade é que o Porto ganha outro mistério quando começa a vestir-se para a noite a que os tripeiros chamam de,” noite de vela”, que é o mesmo que dizer; a noite em que ninguém prega olho…

Por agora, os manjericos misturam-se com cerejas e alho-porro…

Afinam-se vozes e instrumentos para o arraial, com palcos virados para a ponte onde descem todas as estrelas da noite. Penduram-se bandeiras e balões, que os outros, os de fogo, são para ser lançados na noite do santo…

A noite em que a cidade por causa do balão está invicta de tráfego aéreo.