segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

AS CASAS DA RUA DO POEMA

A casa

Era uma casa
muito engraçada
Não tinha teto
não tinha nada
Ninguém podia entrar nela não
porque na casa não tinha chão
Ninguém podia dormir na rede
porque na casa não tinha parede
Ninguém podia fazer pipi
porque penico não tinha ali
Mas era feita com muito esmero...
na Rua dos Bobos, nº 0!

Vinicius de Moraes


Este é o poema que os meninos ouviram falado e cantado e sobre o qual pensaram.
E depois de muito pensar…
Nasceram no papel as casas maravilhosas que fariam a inveja de qualquer rua mas que só podem ser habitadas na rua do poema. Pois se assim não fosse, LER NÃO SERVIRIA PARA NADA!


3 comentários:

Anónimo disse...

Cara Colega.
LINDo!
A transparência das crianças, a transparência das casas dos meninos, mu,a época cada mais fechada, desconfiada, hipocritamente selada.
Depois, as casas arco-íris da cor da felicidade que muitos meninos ainda vão sentido em toda esta vergonha de país e de falta de ternura.
As casas dos meninos TÊM MESMO TUDO
o que é preciso para ser feliz! Nós, adultos, nem com óculos conseguimos ver!
Mais um belo ato educativo, o seu!

marta disse...

Ainda bem que estou no desenho do meu irmão.Isto significa que sou importante para ele como ele é para mim.Um beijinho da Marta.

puflle disse...

ELES DESENHAM MESMO MUITO BEM!!!
UM BEIJO DA MAFALDA(ALUNA DA PROFESSORA ALEXANDRA)