domingo, 27 de novembro de 2011

"MAR DE MIM"



Noutros tempos não teria autorização para descer sozinha até à praia. Teria de esperar …

Esperar que algum dos mais velhos da casa estivesse pelos ajustes para poder acompanhá-la!

Acompanhá-la, quer dizer, ela sim teria de acompanhar quem a acompanhasse! Bom, a não ser que a sua companhia fossem Ana ou o Avô! Os únicos que apreciavam a praia e o mar tanto como ela. De Ana até parece ouvir…” Credo menina! Tanto mar, tanta praia. Mas será que nunca se cansa?! E com este frio, que graça há-de ter o mar?!”

Mas quando já estavam junto ao mar Ana parecia divertir-se tanto como ela. Faziam campeonatos de lançamento de pedrinhas para o mar, apanhavam conchas na beirada, desenhavam na areia sonhos e castelos… Corriam atrás do vento e riam, riam muito com as cócegas que os flocos das ondas lhes faziam no nariz.

Com o Avô ouvia histórias maravilhosas de sereias que à luz do luar embalavam a praia com os seus cantos, ela sempre soubera que vêm cantigas do mar!

- Mãe?! Vens comigo até à praia?

Era a sua filha mais nova quem lhe interrompia este pedacinho de meninice… 

- Claro querida. Desço já!

Afinal que de outro sitio se pode sonhar melhor o céu!


8 comentários:

Ana disse...

Dois sorrisos luminosos!
Um lindo retrato.
Tenho a certeza que a pessoa que estava "do outro lado" tem um sorriso tão feliz como esse.
A escrita sempre maravilhosa.
Para quando o livro?

Anónimo disse...

Eu reforço: para quando o livro!!
Eu

Diana disse...

Parabéns Prof. Teresa, calculo que seja a sua filha mais nova, ela é muito linda, têm as duas um magnifico sorriso, e tenho de concordar com os anteriores comentários, a sua escrita contagia-nos.
Os meus sinceros parabéns.

CD disse...

Allô, allô...Sempre eloquente mais do que q.b.!!!
;-) Adorei a foto...o tempo passa sem darmos conta!! Beijitos.

Teresa disse...

Minhas Amigas,

Decididamente pretendiam vocês meter-me em trabalhos!

Um livro é uma coisa muito séria! Bem sei, há os que não…

Mas o meu ofício não é o da escrita. Pelo menos o da escrita de livros. A minha escrita é mesmo muito livre!

Só deve escrever livros quem sabe encantar palavras.

Eu limito-me como leitora furiosa que sou a deixar-me encantar com as palavras dos livros dos que sabem realmente escrever. E como não vou conseguir ler todos os livros encantados que estão escritos faço por ler os melhores!

Agradeço a vossa gentileza e ternura e o facto de gostarem de ouvir os sons do meu Búzio!

Amiga CD, que bom é ver o tempo passar e vê-lo trazer amigas que nunca nos fazem perder o tempo nem no tempo! Beijinhos!

Existente Instante disse...

A primeira vez que aqui venho.

É...quem estava atrás da câmara estava feliz, está feliz! Eu! Companheiro, Amante e Silêncio de cais de porto de abrigo de mais de duas décadas.
Gosto do sorriso da "Tesa" como gosto da minha trancinhas (que não as tinha nesse dia).

No seu "plano inclinado" sem pressas de escorregar rápido. Linda na sua idade a Minha Teresa. Linda a minha Elisa na beleza da proporção do seu crescimento no nosso envelhecimento. Lindo A M e o F no seu estando sendo nossos cada vez mais Eles no seu apronto de voar.

E só isto basta, e nem preciso de muito mais. A Paz e a sensação de "vaso cheio" chega-me. Nunca pedi muito à vida e ela tem-me dado tudo, o que para muitos é tão pouco!

Linda a minha "famelga"!

xn disse...

Concordo! Para quando o livro?
"- Só deve escrever livros quem sabe encantar palavras." - dizes tu
E tu sabes! Basta ler os teus textos ou simplesmente ouvir-te falar, para me sentir sempre com mais alegria e sentido.

joanacruz disse...

Que lindos sorrisos!
Parabéns pela sua linda filha! Quanto à sua escrita já lhe confessei várias vezes que me encanta! O que eu desconhecia é que na sua familia não é a única a cativar e a encantar!