terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

A MAGIA DAS FADAS

(Ilustração de Raquel Pinheiro, As Fadas, Antero de Quental, Edições Vega)


Não sei explicar o meu fascínio por tudo o que tem asas.


Quando era menina, adorava as maravilhosas histórias contadas pela minha avó Emília, histórias de princesas, de bruxas, mas as minhas preferidas eram sem dúvida as de fadas.


A avó usava até uma expressão que eu adorava, ela dizia com frequência, “Deus te fade meu amor.” E eu acreditava que a minha avó era mesmo uma fada boa. Uma fada sempre disposta a ajudar todos os que dela precisassem.


De todas as histórias, havia a da fada que para conseguir as asas que todas as fadas sonham ter, teria de ser boa, alegre, justa, e sábia.


Em suma, a fada perfeita. Mas a fadinha irritava-se com facilidade, e por isso ainda não tinha conquistado as tão almejadas asas. A avó dizia-me, que era uma questão de tempo, até as fadas tinham de aprender a ter paciência…


E eu sonhava… Sonhava, que era uma fada boa a espalhar, sorrisos, abraços, ternuras, e muito pó de fada, que é o que eu acho que todas as fadas devem espalhar!


E por falar em fadas...lembrei-me de um livro maravilhoso de um não menos maravilhoso escritor ,Antero de Quental e as suas "As Fadas", que ilustrado por Raquel Pinheiro é levado a uma obra de arte para miúdos e graúdos!

As fadas... eu creio nelas!

Umas são moças e belas,


Outras, velhas de pasmar...


Umas vivem nos rochedos,


Outras, pelos arvoredos,

Outras, à beira do mar...


(...)

Quantas vezes,já deitado,

Mas sem sono, inda acordado,

me ponho a considerar

Que condão eu pediria,

Se uma fada, um belo dia,

Me quisesse a mim fadar...



O que seria? um tesoiro?

Um reino? um vestido de oiro?

Ou um leito de marfim?

Ou um palácio encantado,

Com seu lago prateado

E com pavões no Jardim?



Ou podia, se eu quisesse,

Pedir também que me desse

Um condão, para falar

A língua dos passarinhos,

Que conversam nos seus ninhos...

Ou então, saber voar!


Antero de Quental



1 comentário:

cduxa disse...

Temos algo em comum, a poesia, o mar, a profissão, a cidade, a magia.
Que nunca falte o pó das estrelas nos nossos corações.
cduxa