quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

VOTOS DE BOM ANO e o FUTURO



Queria desejar a todos os Amigos e Leitores do meu blogue um novo ano repleto de sucessos e de frutos sumarentos de vida. E que melhor desejo do que colocar aqui um lindíssimo texto de um Enorme Livro, de um Grande livro do José Fanha, "Diário Inventado de Um Menino Já Crescido"!? O texto é adequado à época (será?), ao eterno recomeçar, ao desejo de... É de ler e futurar por mais!
(A gravura de introdução é desse fabuloso site que é o Vladstudio)


O futuro vai chegar um dia destes

"Naquela noite o futuro ia começar. Há que tempos que eu andava à espera dele.Toda a gente dizia que não falhava. O futuro ia chegar sem falta no dia l de Janeiro, ao bater da meia-noite.

Parece que o futuro chega sempre à meia-noite. São manias. Era melhor que fosse de dia. Pelo menos cá para mim era melhor que fosse aí por volta das 11 horas da manhã. Ou mesmo à hora do lanche. Mas tinha de ser de noite. Por isso, paciência... De dia ou de noite, o que interessava é que o futuro chegasse.

Era de noite, portanto. Lá em casa, juntámo-nos todos na sala com garrafas de champanhe e bolo-rei epassas. Toda a gente se ria muito. Eu andava a depenicar frutas cristalizadas e pinhões, até que me mandaram sentar e portar-me bem. E eu portei-me tão bem que adormeci.

Quando acordei, já passava da meia-noite. Bolas! Era mesmo azar. O futuro tinha chegado e eu estava a dormir. Grande parvalhão! Corri à janela para ver como é que era. Olhei para um lado, olhei para o outro e não vi nada. Quer dizer... Não vi nada que se parecesse com o futuro. As casas estavam iguais, a rua estava igual, as pessoas estavam iguais.

Afinal o futuro não tinha chegado. Ou talvez tivesse começado por chegar a outros sítios e ainda demorasse um tempo até chegar à minha rua. Ou então era um futuro tão pequenino que não se via cá de cima da janela de minha casa.

Passados alguns dias, ouvi dizer que o futuro afinal ainda não tinha chegado. Só vinha para o outro ano.

Fiquei um bocadinho triste. Queria muito ver como é que é o futuro. Mas não faz mal. Mais ano menos ano, o futuro há-de chegar. O mundo vai ficar lindo. Cheio de cores e música e perfumes bons. E as pessoas vão desatar a ser boas e simpáticas todas ao mesmo tempo. E ninguém vai precisar de pedir esmola. E toda a gente reparte o pão e os bolos e os bifes e os rebuçados. E desatamos a dançar e a fazer piruetas como trapezistas do circo mais maluco do mundo.

É assim que eu acho que deve ser o futuro. Pode demorar pouco, pode demorar muito a chegar. Não sei. Só sei que não desisto. Tenho a certeza de que um dia o futuro vai chegar. E nesse dia eu vou estar cá para ver."




2 comentários:

prof emrc disse...

Lindo!
e
Obrigada!
Só para te dizer que passei por aqui.
Que ouvi os teus búzios e gostei do que ouvi...
Bjs
Rosa Mary

Gonçalo disse...

E enquanto o futuro não chega, regressei ao passado para recordar este lindo texto.