domingo, 30 de janeiro de 2011

O Recreio da Escola da Praia


Miró

Esta é uma história pequenina. Passada numa escola também ela pequenina de uma aldeia ainda mais pequenina de um País também ele pequenino chamado Portugal.

A escola pequenina de que falo ficava mesmo ao pé da praia por isso, era por todos conhecida como, a escola da praia. Assim à primeira vista, a escola da praia era igual a todas as escolas, tinha tudo o que era preciso para ser uma escola, meninos, porque sem meninos a escola não existe. E um enorme recreio, sim, a escola era pequenina, mas tinha um enorme recreio, com um enorme Plátano. Para quem não sabe ou porventura já esqueceu, o recreio é o sítio da escola que os meninos gostam mais, os meninos e alguns professores também.

Senão vejamos, onde podemos dar a melhor aula sobre a vida das formigas? No recreio. Qual é o melhor lugar da escola para trabalhar as regras de socialização, a meteorologia, a intensidade do vento, o clima, as cores, os cheiros, os sons…

Qual o lugar da escola com melhor luz para ler, para pintar? Claro, o recreio.

No recreio desta escola por detrás das roseiras que cobrem os canteiros vive uma família de gnomos, um esquilo que adora comer o pão que o padeiro deixa no portão para o pequeno-almoço dos meninos. Uma família de minhocas, abelhas, borboletas, caracóis que deslizam por entre as folhas sobretudo quando chove, como todos sabem os caracóis são grandes apreciadores de passeios à chuva, muitos pássaros, principalmente chapins e gaivotas ou não fosse esta a escola da praia.

Há também um muro onde vivem imensas lagartixas, é assim como uma espécie de condomínio. Os meninos já sabem que durante o Inverno, as lagartixas ficam a dormir, pois detestam frio…

Mas para perceber melhor as estações do ano, basta observar o plátano que fica mesmo no centro do recreio. Quando começam as aulas, as suas folhas ainda estão bem verdinhas e seguras. Aos poucos vão ficando castanhas e chega o dia em que se transformam em pedacinhos de ouro esvoaçando e caindo sobre o chão. Outro dia, olhamos, e o plátano “está careca”. Sabemos que o Inverno está à porta, mas em breve a Primavera se encarregará de voltar a cobrir de folhas os seus ramos, para que nos dias de calor os meninos e os professores que acham o recreio o melhor sítio da escola, possam saborear a fresca sombra. Mas o que o plátano mais gosta é de ver os meninos pendurados nos seus ramos, porque como os meninos o plátano sabe que só do alto dos seus ramos podemos agarrar o vento, tocar o céu, ver melhor o mar…

O recreio da escola da praia é mesmo um lugar maravilhoso. Como de resto são os recreios de todas as escolas. Basta só aproveitar tudo o que oferecem!

5 comentários:

Anónimo disse...

Cara colega...talvez o Recreio seja o grande Livro da Escola!
Num mundo em que querem "ensalar" as crianças, o recreio é libertador!
Mas, já era! sempre foi! Até na Grécia Antiga, o ar livre salvava!
Dá gosto respirar no seu recreio-blogue cara colega!

Anónimo disse...

Já não me lembro do que te escrevi ontem....
adoro ler o que escreves......... porque TU ESCREVES!!!
e..gosto de te comentar na 1º leitura!!!!!OH!!!
Hoje::::::::
O RECREIO tá à tua espera...com as ""trengas"", as formigas,os passa"sara"rinhos, os búzios, os beiji"inês"nhos do mar...tá tudo à tua espera com muiiiitas saudades
Parabéns pelas palavras de "poesias" e pelo "sentimentos"""

o EU

Rosa Maria disse...

Apesar de não ter passado muitos "momentos" neste recreio, os que lá passei foram sempre na companhia de grandes amigos. É com muita tristeza que quando por ele hoje passo o vejo sem vida. Também ele está triste por ter ficado SÓ.
Será que,por ser um simples recreio de uma escola pequenina, não tem direito a ter SAUDADES?
Amiga, será que não estará na hora de uma visitinha?

Marta Vasil disse...

Tanta magia se pode ver nos recreios das escolas, não é? Ou será que os olhos dos nossos meninos já não sonham tanto nesses sitios?

No recreio da minha escola, não havia um plátano, havia acácias, e se me lembro delas! Eram tão mágicas que davam as florinhas amarelas só para nós construirmos as nossas casinhas. Era assim como se fossem lápis a desenhar no papel as plantas da casas...

Beijinho

Ana disse...

A Escola é pequenina. Porém, tal como o recreio, a Teresa é grande.
Obrigada. Ficamos deleitados!